FRAUDES ALIMENTARES EM PRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL: UMA REVISÃO

Resumo: Com o aumento da produção e da demanda por alimentos de origem animal, a sua segurança e autenticidade passaram a ser pontos chave de interesse econômico e de saúde públicos. Estes alimentos são susceptíveis às contaminações em diversas etapas de produção, tanto de forma acidental quanto intencional, sendo esta segunda considerada fraude alimentar. A fraude é considerada crime e tem sido praticada em nível mundial, caracterizada principalmente por falsificação ou adulteração de produtos destinados à alimentação humana. Este tipo de crime está previsto no art. 272 do código penal brasileiro. Dentre os produtos de origem animal, a carne, o leite, o mel e o peixe são os alimentos mais susceptíveis às ações fraudulentas, justamente pelo seu alto valor comercial e nutricional. Nas últimas décadas, diferentes tecnologias têm sido propostas para a detecção de fraudes em produtos de origem animal, sendo as técnicas da biologia molecular uma das amplamente utilizadas devido ao seu baixo custo atual, tempo para obtenção dos resultados, repetibilidade e sensibilidade das técnicas. Diante disso, essa revisão tem como finalidade abranger de forma geral as fraudes mais comuns dentre os alimentos de origem animal mais comumente fraudados em todo o mundo, bem como os métodos de detecção de fraudes e suas limitações. Assim como, discutir os diferentes tipos de fraudes e como estas afetam a saúde do consumidor.

.

Autores: Débora de Campos1; Janaina Lustosa Goncales1; Laura Woigt Pian1; Natália Peccin Biarzolo1; Simara Larissa Fanalli2; Albino Luchiari Filho3; Aline Silva Mello Cesar4

Consultar afiliações no livro

DOI: https://doi.org/10.53934/9786599539657-55

Capítulo do livro:

PESQUISAS E ATUALIZAÇÕES EM CIÊNCIA DOS ALIMENTOS

Fundada em 2020, a Agron tem como missão ajudar profissionais a terem experiências imersivas em ciência e tecnologia dos alimentos por meio de cursos e eventos, além das barreiras geográficas e sociais.

Deixe uma resposta