EFEITOS DA MELATONINA NA MITIGAÇÃO DO ESTRESSE ABIÓTICO EM FRUTAS E VEGETAIS

Resumo: A melatonina é uma biomolécula constituída de triptofano, sendo encontrada em todos os organismos vivos, como microrganismos, animais e plantas. Seu descobrimento se deu em 1958, a partir da glândula pineal de bovinos. Contudo, foi apenas em 1995 que a sua presença nas plantas foi constatada. Assim, a presente revisão teve como objetivo investigar se a aplicação exógena da melatonina diminui os danos causados pelo estresse abiótico, principalmente pelo frio, em frutas e vegetais. O estudo tratou-se de uma revisão de literatura, em busca de trabalhos científicos publicados entre 2017 a 2021, utilizando as bases de dados do Portal de periódicos CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior), Google Acadêmico e Science direct. Observou-se que a aplicação exógena da melatonina controlou os estresses abióticos causados nas plantas, reduzindo sua senescência pelas diminuições de peroxidação lipídica, de formações de espécies reativas de oxigênio e lesão por frio, além de controles bióticos. Conclui-se, portanto, que a melatonina foi capaz de mitigar além de estresses abióticos, também bióticos nas plantas.

Autores: Wallace Ribeiro da Silva1;Thatianna Karolina Arruda Santos2

Consultar afiliações no livro

DOI: https://doi.org/10.53934/9786599539657-24

Capítulo do livro:

PESQUISAS E ATUALIZAÇÕES EM CIÊNCIA DOS ALIMENTOS

Fundada em 2020, a Agron tem como missão ajudar profissionais a terem experiências imersivas em ciência e tecnologia dos alimentos por meio de cursos e eventos, além das barreiras geográficas e sociais.

Deixe uma resposta