Back

Nova pesquisa mostra que os probióticos podem ajudar a aliviar a depressão

O transtorno depressivo maior (TDM) é um dos transtornos psiquiátricos mais prevalentes, mas as opções de tratamento atuais ainda são insatisfatórias. Uma nova e promissora abordagem de tratamento para TDM tem como alvo o eixo microbiota-intestino-cérebro, que está ligado a funções fisiológicas e comportamentais afetadas no TDM.

O microbioma humano é geralmente entendido como todos os microrganismos que vivem no corpo humano, como a microbiota intestinal. As bactérias intestinais podem influenciar o sistema nervoso, por exemplo, através de produtos metabólicos.

Uma equipe de pesquisa da University of Basel e da University Psychiatric Clinics Basel, Suíça, mostrou que os probióticos podem apoiar o tratamento com antidepressivos. O estudo foi publicado na revista Translational Psychiatry, com o título “Clinical, gut microbial and neural effects of a probiotic add-on therapy in depressed patients: a randomized controlled trial”.

Pacientes com episódios depressivos tomaram um suplemento probiótico de várias cepas ou placebo por 31 dias, além do tratamento usual. As avaliações ocorreram antes, imediatamente após e novamente quatro semanas após a intervenção. 

A análise subsequente mostrou que, embora os sintomas depressivos tenham diminuído em todos os participantes graças ao tratamento antidepressivo geral, houve uma melhora maior nos indivíduos do grupo probiótico do que no grupo placebo.

Além disso, a composição de microbiota intestinal mudou, pelo menos temporariamente: no grupo probiótico, uma análise de amostras de fezes revelou um aumento de bactérias lácticas ao final do tratamento – efeito que foi acompanhado por uma redução dos sintomas depressivos. No entanto, o nível dessas bactérias intestinais promotoras da saúde diminuiu novamente nas quatro semanas seguintes. “Pode ser que quatro semanas de tratamento não sejam suficientes e que demore mais para a nova composição da microbiota intestinal se estabilizar”, explica Anna-Chiara Schaub, uma das principais autoras do estudo.

Outro efeito interessante de tomar probióticos foi observado em relação à atividade cerebral. Os pesquisadores investigaram esse efeito usando ressonância magnética funcional. Em pacientes com depressão, certas regiões do cérebro para processamento emocional se comportam de maneira diferente do que em indivíduos com boa saúde mental. Após quatro semanas de probióticos, essa atividade cerebral normalizou no grupo probiótico, mas não no grupo placebo.

Esses dados implicam que um tratamento probiótico complementar melhora os sintomas depressivos juntamente com alterações na microbiota intestinal e no cérebro, o que destaca o papel do eixo microbiota-intestino-cérebro no TDM e enfatiza o potencial das abordagens de tratamento relacionadas à microbiota.

Veja mais notícias como essa no nosso Blog.

Referências:

  1. SciTechDaily. New Research Shows That Probiotics Can Help Alleviate Depression [Internet]. 2022 [acesso em 2022 Jun 14]. Disponível em: https://scitechdaily.com/new-research-shows-that-probiotics-can-help-alleviate-depression/
  2. Schaub AC, Schneider E, Vazquez-Castellanos JF, Schweinfurth N, Kettelhack C, Doll JP, Yamanbaeva G, Mählmann L, Brand S, Beglinger C, Borgwardt S. Clinical, gut microbial and neural effects of a probiotic add-on therapy in depressed patients: a randomized controlled trial. Translational Psychiatry. 2022 Jun 3;12(1):1-0.

Fundada em 2020, a Agron tem como missão ajudar profissionais a terem experiências imersivas em ciência e tecnologia dos alimentos por meio de cursos e eventos, além das barreiras geográficas e sociais.

Leave A Reply