Back

Pesquisadores desenvolvem embalagem para preservação de Pescado

Pesquisadores da Universidade de Jiangsu (China), desenvolveram uma embalegem bicamada contendo zeína/gelatina/carvacrol/álcool polivinílico/quitosana e antocianina, com o objetivo de preservação de pescado.

Diante dos avanços da ciência e das preocupações da indústria de alimentos, diversas tecnologias vem surgindo buscando ter um alimento mais seguro e com características que reduzam seu desperdício. Um dos caminhos levados pelos pesquisadores foi que detectar a frescura do peixe durante o armazenamento tendo em vista que o peixe fresco é altamente perecível, levando a perdas anuais significativas devido à sua deterioração. A inibição do crescimento microbiano pode minimizar o desperdício e prolongar o prazo de validade e uma embalagem inteligente pode detectar o frescor do peixe durante o armazenamento sendo uma tecnologia de grande importância para a garantia da segurança.

Neste ponto, nas embalagens inteligentes, os indicadores de frescura desempenham um papel na detecção de deterioração, especialmente em peixes, através da monitorização das alterações de pH. Pigmentos naturais, como antocianinas, estão sendo explorados como alternativas aos corantes sintéticos de pH devido a questões de segurança. Uma matriz sólida é essencial para incorporar e preservar as antocianinas no indicador. Os pesquisadores indicaram que em estudos anteriores relataram a síntese de filmes compósitos de PVA/quitosana, exibiram melhores propriedades mecânicas e uma estrutura porosa em comparação com filmes de quitosana pura. Portanto, a mistura PVA/quitosana tem potencial como agente formador de filme para imobilizar antocianinas e desenvolver indicadores de frescor.

O objetivo do trabalho foi criar um filme de bicamada que fosse antibacteriano e pudesse detectar deterioração em pescado. A camada inferior foi feita de uma mistura de zeína, gelatina e carvacrol para propriedades antibacterianas. A camada superior foi obtida através de uma mistura de quitosana, álcool polivinílico e antocianinas para indicar deterioração. 

Diversos testes foram feitos e os autores chegaram na seguinte conclusão: Um filme indicador antibacteriano de nanofibra foi criado usando eletrofiação. O filme bicamada demonstrou excelentes propriedades bacteriostáticas. A mudança de cor do filme foi facilmente identificável a olho nu e por uma câmera durante um experimento com amônia. Quando utilizado em experimento com o peixe , o filme bicamada estendeu o tempo de preservação de 48 para 72 h. 

Os pesquisadores identificaram que o filme indicador antibacteriano eletrofiado é adequado para novos componentes de embalagens para produtos que podem ser propensos à deterioração por fungos, como peixes. Além disso, o filme pode indicar a deterioração em tempo real, permitindo que os trabalhadores removam os peixes deteriorados de forma conveniente. Como resultado, o filme tem potencial para sem aplicada como embalagem inteligente que pode ser aplicado a produtos pesqueiros.

Gostou desta pesquisa? Veja o estudo completo no link das referências.

Referência: HUANG, Zhangqi et al. A smart bilayer film containing zein/gelatin/carvacrol and polyvinyl alcohol/chitosan/anthocyanin for Lateolabrax japonicus preservation and freshness monitoring. Journal of Food Measurement and Characterization, p. 1-14, 2023. https://doi.org/10.1007/s11694-023-02106-0

Fundada em 2020, a Agron tem como missão ajudar profissionais a terem experiências imersivas em ciência e tecnologia dos alimentos por meio de cursos e eventos, além das barreiras geográficas e sociais.

Leave A Reply