ENCAPSULAÇÃO DE COMPOSTOS FENÓLICOS OBTIDOS DE RESÍDUOS DE ALIMENTOS

Resumo: A produção e o consumo de alimentos vegetais inevitavelmente geram subprodutos e resíduos, como como cascas, talos, bagaços, águas residuais, folhas e sementes. Nos últimos anos, estudos evidenciaram que existe um potencial inexplorado nesses resíduos, como fontes de compostos fenólicos. Os fenólicos são produzidos pelo metabolismo secundário de plantas e apresentam diversas atividades biológicas comprovadas, como propriedades antioxidantes, antimicrobianas, anti-inflamatórias, antivirais e preventivo em diversas doenças relacionadas ao estresse oxidativo. Entretanto, a eficácia desses compostos depende da preservação da estabilidade, bioatividade, bioacessibilidade e biodisponibilidade dos ingredientes ativos. A encapsulação tem sido testada em diversos estudos para melhorar essas características. Várias técnicas de encapsulação foram desenvolvidas e estudadas com diferentes materiais, entre as técnicas podemos destacar secagem por pulverização (spray drying), liofilização, emulsificação, eletrofiação e gelificação ionotrópica. Nesse contexto, esta revisão visa compilar dados sobre as técnicas utilizadas para proteger compostos fenólicos extraídos de resíduos e subprodutos agroindustriais visando aplicações em alimentos.

Autores: Tatiane Jéssica Siebeneichler

Consultar afiliações no livro

DOI: 10.53934/9786599539695-17

ISBN: 978-65-995396-9-5

Capítulo do livro: Ciência e Tecnologia de Alimentos: Pesquisas e Avanços, Vol. 3

Fundada em 2020, a Agron tem como missão ajudar profissionais a terem experiências imersivas em ciência e tecnologia dos alimentos por meio de cursos e eventos, além das barreiras geográficas e sociais.

Deixe uma resposta

//
//
Jaelyson Max
Atendimento Agron

Me envie sua dúvida ou problema, estou aqui para te ajudar!

Atendimento 100% humanizado!