ÁCIDOS GRAXOS POLI-INSATURADOS DE CADEIA LONGA: IMPACTO NO DESENVOLVIMENTO CEREBRAL E VISUAL

Resumo: A alimentação infantil sempre foi alvo de cuidados da família. Passando por uma mudança muito grande com o fornecimento de fórmula infantil para as crianças. Pesquisas demonstram que a prevalência da amamentação materna tem diminuído ao longo dos anos. Um dos nutrientes que deve estar presente na alimentação infantil é os ácidos graxos, que fornecem energia e ácidos graxos essenciais. A carência desses ácidos graxos podem causar deficiência em algumas funções do organismo e também prejudicar o desenvolvimento infantil, como da acuidade visual e cerebral. Portanto, o objetivo deste trabalho foi realizar uma revisão da importância dos ácidos graxos poli-insaturados de cadeia longa no desenvolvimento infantil. O lactente não tem capacidade de sintetizar os ácidos graxos poli-insaturados de cadeia longa devido à imaturidade hepática. Os ácidos graxos poli-insaturados de cadeia longa são o araquidônico (ARA) e docosahexaenóico (DHA), estes são os principais componentes da membrana fosfolipídica das células do sistema nervoso central. Eles atuam sobre o crescimento, funcionalidade e integridade do cérebro. O DHA é fundamental para o desenvolvimento cerebral e visual do recém-nascido. Deste modo, a suplementação destes ácidos graxos é de extrema importância para o desenvolvimento infantil saudável. 

Autores: Mahyara Markievicz Mancio Kus-Yamashita1; Jorge Mancini Filho2

Consultar afiliações no livro

DOI: https://doi.org/10.53934/9786599539657-120

Capítulo do livro:

PESQUISAS E ATUALIZAÇÕES EM CIÊNCIA DOS ALIMENTOS

Fundada em 2020, a Agron tem como missão ajudar profissionais a terem experiências imersivas em ciência e tecnologia dos alimentos por meio de cursos e eventos, além das barreiras geográficas e sociais.

Deixe uma resposta

//
//
Jaelyson Max
Atendimento Agron

Me envie sua dúvida ou problema, estou aqui para te ajudar!

Atendimento 100% humanizado!