ESTABILIDADE AERÓBICA DE FARELO DE GLÚTEN DE MILHO ÚMIDO ADITIVADO COM TIMOL

Resumo: A utilização de coprodutos na nutrição animal tem interesse abrangente, desde a redução de custo com alimentos, a não competição por alimentos para humanos, além de aspectos ambientais. Devido a esse fato, o objetivo desse trabalho foi avaliar a estabilidade aeróbica de farelo de glúten úmido aditivado com diferentes doses de timol. Foram utilizadas 5 doses de timol (D1 (50 mg/kg/ matéria verde), D2 (150 mg/kg/ matéria verde, D3 (250 mg/kg/ matéria verde), D4 (350 mg/kg/ matéria verde), D5 (450 mg/kg/ matéria verde), além do tratamento controle (sem a utilização de aditivos). O experimento foi inteiramente casualizado com 5 repetições por tratamento, totalizando 30 unidade experimentais. Os resultados obtidos foram submetidos a ANOVA e ao teste de Tukey a 5% de significância. Foram mensurados valores de matéria seca (MS), pH, estabilidade aeróbia (EA), perdas de matéria seca (PMS), temperatura máxima (TMAX) e horas para a temperatura máxima (HTMAX). A estabilidade aeróbia, PMS, MS, TMAX e HTMAX não apresentaram diferença estatística entre os tratamentos (p<0,05). As diferentes doses de timol não foram suficientes para aumentar a EA e reduzir as PMS. Com base nesses achados, a utilização de timol não é recomendada para melhorar a estabilidade aeróbia de farelo de glúten úmido.

Autores: Lucelia de Moura Pereira; Camilla Mariane Menezes Souza; Denise Volpi; Gabriela Letícia Delay Vigne; Ariadne Pegoraro Mastelaro; Queila Gouveia Tavares; Maity Zopollatto

DOI: https://doi.org/10.53934/9786599539633-107

Capítulo do livro:

Produção Animal e Vegetal: Inovações e Atualidades

Fundada em 2020, a Agron tem como missão ajudar profissionais a terem experiências imersivas em ciência e tecnologia dos alimentos por meio de cursos e eventos, além das barreiras geográficas e sociais.

Deixe uma resposta

//
//
Jaelyson Max
Atendimento Agron

Me envie sua dúvida ou problema, estou aqui para te ajudar!

Atendimento 100% humanizado!