DE ORIGEM ANIMAL: REVISÃO

Resumo: O mercado consumidor procura cada vez mais por alimentos naturais, sustentáveis, ecológicos e que respeitem o bem-estar animal. A alta produtividade requerida nos animais de produção de sistemas convencionais trouxe desvantagens neste quesito. Ao não utilizar agrotóxicos, substâncias tóxicas, fertilizantes químicos e sintéticos, e ao criar animais em sistemas extensivos, os alimentos orgânicos ganham uma demanda cada vez maior. O processo de produção de orgânicos não é apenas benéfico para o consumidor, mas também pode auxiliar na preservação do meio ambiente, da biodiversidade e consequentemente proporciona uma cadeia de suprimentos ecológicos fortalecida. Com isso, o objetivo desta revisão é abordar a produção de produtos orgânicos de origem animal (leite, carnes, ovos e mel) com foco na Portaria nº 52 de 2021, a qual estabelece o regulamento técnico para os sistemas orgânicos, e assim esclarecer ao leitor as novas regras de produção de produtos de origem animal em sistemas orgânicos.

Autores: Camila Lopes Carvalho; Nathalia de Oliveira Telesca Camargo; Caroline Romeiro de Oliveira; Gabriela Miotto Galli; Marcia Monks Jantzen; Ines Andretta

DOI: https://doi.org/10.53934/9786599539633-140

Capítulo do livro:

Produção Animal e Vegetal: Inovações e Atualidades

Fundada em 2020, a Agron tem como missão ajudar profissionais a terem experiências imersivas em ciência e tecnologia dos alimentos por meio de cursos e eventos, além das barreiras geográficas e sociais.

Deixe uma resposta